Desenho Universal, inclusão social e dignidade humana

O Desenho Universal – ou Design Universal – é um conceito inclusivo desenvolvido nos EUA, intimamente vinculado aos princípios de ergonomia e usabilidade, associados a ambientes, produtos e serviços que devem ser adequados à grande maioria das pessoas, independentemente de altura, peso, mobilidade, acuidade visual ou auditiva, ou a qualquer transtorno físico que a diferencie do padrão usual.

Os Sete princípios que regem o Desenho Universal foram desenvolvidos em 1997 na Universidade da Carolina do Norte (EUA) para servirem de referência aos projetos de produtos e ambientes, que deverão ser utilizáveis por qualquer pessoa, sem a necessidade de adaptação. São eles:

  • Uso equitativo: ser útil a pessoas com  diversas capacidades.
  • Flexibilidade no uso: acomodar um vasto leque de preferências e capacidades individuais.
  • Uso simples e intuitivo: utilização facilmente compreendida, independentemente da experiência, do conhecimento, das capacidades linguísticas ou do atual nível de concentração do utilizador.
  • Informação perceptível: comunicar eficazmente, ao utilizador, a informação necessária, independentemente da sua capacidade ou das condições ambientais.
  • Tolerância ao erro:  minimizar os riscos e consequências adversas de ações acidentais ou não intencionais.
  • Redução no gasto energético: poderá ser usado de forma eficiente e confortável e com um mínimo de fadiga.
  • Espaço apropriado:  tamanho e espaço apropriados para a aproximação, alcance, manipulação e uso, independentemente do tamanho do corpo, postura ou mobilidade do usuário.

Recém editado, o Decreto Federal nº 9.296/2018 (01/03/2018) estabelece que empreendimentos para hospedagem – hotéis, pousadas e similares, deverão ser adequados aos padrões de Desenho Universal.      

Um grande avanço nacional que deveria ser ampliado a todo e qualquer empreendimento público ou privado, assim como ocorre nos países europeus e na América do Norte, onde tal conceito está intrinsecamente vinculado a todo projeto.

Desde 2013, convênios entre o Governo Federal, o CAU/BR e o Banco do Brasil foram firmados para a efetiva viabilização destas medidas, no sentido de que os empreendimentos residenciais  já existentes também venham a ser adequados aos Sete Princípios do Desenho Universal, na sua íntegra, através da Norma Brasileira  nº 9050 – ABNT.

Assim, o Banco do Brasil vem disponibilizando uma linha de crédito especial para reformas de adaptação residencial aos critérios de acessibilidade (ABNT NBR 9050), conforme preconiza a Portaria Interministerial nº 604/2013 – Plano Nacional da Pessoa com Deficiência – Viver sem Limite. Condições para a obtenção desta linha de crédito podem ser verificadas no site do Banco do Brasil, Programa BB Crédito Acessibilidade.

Infelizmente, informações desta importância não encontram muito espaço na mídia brasileira, omitindo o que poderia vir a ajudar milhões de pessoas que não dispõem de recursos, a terem uma vida mais digna e inclusiva.

Estamos empenhados a colaborar com nossos projetos e nosso compromisso social em oferecer os meios técnicos para transformar as dificuldades de muitos em qualidade de vida!

DB


Fontes:
Anúncios

Comentaremos em breve!! Agradecemos sua visita!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.