Pecados de omissão

A omissão é o pecado que com mais facilidade se comete e com mais dificuldade se conhece; e o que fàcilmente se comete e dificultosamente se
conhece, raramente se emenda. A omissão é um pecado que se faz não fazendo; e pecado que nunca é má obra, e algumas vezes pode ser obra boa, ainda os muito escrupulosos vivem muito arriscados em este pecado.

Mas porque se perdem tantos? Os menos maus perdem-se pelo que fazem, que estes são os menos maus; os piores perdem-se pelo que deixam de fazer, que estes são os piores: por omissões, por negligências, por descuidos, por
desatenções, por divertimentos, por vagares, por dilações, por eternidades. Eis aqui um pecado de que não fazem escrúpulo os ministros, e um pecado por que se perdem muitos. Mas percam-se eles embora, já que assim o querem; o mal é que se perdem a si e perdem a todos, mas de todos hão-de dar conta a Deus.

As citações fazem parte do “Sermão da Primeira Dominga do Advento“, pregado em 1650 na Capela Real em Lisboa, pelo Padre Antônio Vieira.

O que deixou de ser realizado, por negligência, por descuido, por desatenções… certamente causará prejuízos ou perdas, de maior ou menor monta. Um exemplo atualíssimo é o resultado da perícia policial que investigou o incêndio no Museu Nacional do Rio de Janeiro, ocorrido em 02 de setembro de 2018.

Segundo o inquérito realizado pela Polícia Federal, não houve ação criminosa. Quanto à falta de omissão dos gestores do Museu, esta considero questionável, visto que as iniciativas no sentido de adequação da edificação aos meios de segurança contra incêndio estavam sendo adotadas poucos meses antes do sinistro.

Recordo-me que, na ocasião do incêndio e diante da enorme comoção nacional e internacional em razão da incomensurável perda do acervo representativo da história da humanidade, houve comentários recorrentes da precariedade em que se encontrava a edificação, inclusive pela negligência em relação às medidas de segurança contra incêndio e pânico.

Desde 1946, o Palácio de São Cristóvão foi incorporado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), entidade responsável pela sua manutenção, sob o olhar também negligente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Será que ao longo desses 76 anos, não houve condição de se cuidar com a atenção necessária deste acervo tão importante?

O valor histórico e cultural da arquitetura do Palácio de São Cristóvão, além da importância do seu conteúdo para a história natural e antropologia, não poderiam ter sido negligenciados a este ponto e por tanto tempo. Sob este aspecto, podemos, sim, considerar um “pecado de omissão”, conforme conceitua o Pe. Antonio Vieira.

O fato gerador do incêndio, segundo a perícia, teria sido falha elétrica num aparelho de ar condicionado. E o que significa isto? Ausência de manutenção predial. É fato consagrado entre profissionais da engenharia, que as falhas elétricas são, em grande parte dos casos, as responsáveis por incêndios em edificações. Assim, pode-se caracterizar outra omissão: a falta de manutenção predial.

Punir administrativamente o Oficial Bombeiro pela “irregularidade” que remonta sete décadas, é tapar o sol com a peneira. É romper a corda no ponto mais vulnerável. É não assumir a responsabilidade por uma perda irreparável à humanidade. É, mais uma vez, omitir-se.

Uma das cousas de que se devem acusar e fazer grande escrúpulo os ministros, é dos pecados do tempo. Porque fizeram no mês que vem o que se havia de fazer no passado; porque fizeram amanhã o que se havia de fazer hoje; porque
fizeram depois,.o que se havia de fazer agora; porque fizeram logo, o que se havia de fazer já. Tão delicadas como isto hão-de ser as consciências dos que governam, em matérias de momento. O ministro que não faz grande escrúpulo de momentos não anda em bom estado: a fazenda pode-se restituir; a fama, ainda que mal, também se restitui, o tempo não tem restituição alguma.

DB

Comentaremos em breve!! Agradecemos sua visita!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.